Para filosofar

"Inovação é aquilo que faz com se crie aquilo que não existe, aquilo que faz com que avancemos, que cresçamos nos nossos projetos, nos nossos produtos, no nosso modo de convivência..." (Filósofo Mário Sérgio Cortella)


sábado, 6 de fevereiro de 2016

Participação cidadã

     Ao término do ano letivo de 2015, a reflexão sobre "Participação cidadã" com os jovens das primeiras séries do ensino médio, das EE. Antônio Marin Cruz, em Marinópolis e EE. Orestes Ferreira de Toledo, em Palmeira d´Oeste, culminou com a "Carta cidadã", entregue aos prefeitos dos municípios citados.



Alunas representantes das primeiras séries
do ensino médio da EE. Orestes Ferreira de Toledo
e a secretária do Prefeito Luciano, Sra. Cleonice. Dez 2015.
     Em Palmeira d´Oeste, no início de dezembro, as alunas Júlia e Rafaela, representaram os alunos das primeiras séries do ensino médio da EE. Orestes Ferreira de Toledo, após agendamento com a secretária do prefeito Luciano, Sra. Cleonice, compareceram junto com a professora de Filosofia, Terezinha, para a entrega das "Cartas cidadãs", como uma das formas práticas de Participação cidadã estudada na última situação de aprendizagem do volume 2 de Filosofia do ano.




Prefeito Luciano, de Palmeira d´Oeste, com as alunas Júlia e
Rafaela, da EE. Orestes Ferreira de Toledo para entrega
das Cartas cidadãs, escrita em sala de aula. Dez 2015.

     Nas cartas escritas os alunos apresentaram situações da comunidade local para que o prefeito tomasse as devidas providências, sabendo que várias dessas situações já eram de conhecimento do Poder Executivo.

Prof. de Filosofia, as alunas representante do 1A e B
da EE. Orestes F. de Toledo e o Prefeito Luciano,
de Palmeira D´Oeste, Dez. 2015.


     O mesmo exercício ocorreu com os alunos da primeira série A da EE Antônio Marin Cruz. em Marinópolis com a diferença que ao invés do aluno representante ir até o Poder Executivo ou o Poder Legislativo, os alunos tiveram a honra de receber o presidente da Câmara Municipal, o vereador Marcos Marin e, o prefeito Jarbas e sua esposa, em sala de aula.



                
                  Vereador Marin, Prefeito Jarbas e
                    esposa, em palestra com os alunos
                     da 1A EE Marin Cruz. Dez 2015.
Vereador Marin, a aluna representante 1A,
Sr. Prefeito Jarbas e esposa, com o
coordenador Luciano da EE A. Marin Cruz.
Dez 2015.
     Após encerramento da situação de aprendizagem "Participação cidadã", os alunos aprenderam que não é só carta que se escreve para as autoridades do Poder Legislativo e/ou Executivo, mas também pode acompanhar o desenvolvimento de uma cidade, bem como de todo país, frequentando o plenário na Câmara Municipal, assistindo os canais de TV Câmara, TV Senado, TV NBR, TV Justiça, navegando pelos sites do legislativo, ouvindo o programa de rádio "A voz do Brasil", durante a semana, pois segundo John Rawls, a democracia vai além do voto em época de eleição.
     Agradeço a todos que colaboraram para o bom andamento da aula, pela disponibilidade das autoridades envolvidas.

     

Os Direitos Humanos e os deveres cidadãos

    Em dezembro, dia 10, a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) comemorou sessenta e sete anos. No entanto, ao longo deste tempo percebemos o quanto temos que fazer ainda para que os Direitos Humanos sejam respeitados.
     Desde 1948, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU), o objetivo da DUDH é propiciar a fraternidade entre os povos. No entanto, com o cenário internacional na mídia, vemos todos os dias, muitos dos trinta artigos serem violados.
     Há muito o que fazer, conscientizar, propagar. Por isso, os cartazes feitos pelos alunos, no fim do ano letivo de 2015 foi uma forma de conhecer os trinta artigos e reconhecer os direitos estabelecidos pelos representantes dos governos do mundo, mas que, ainda, temos que acompanhar, reivindicar para que as melhorias sejam feitas e a população possa ter acesso à educação, à alimentação, à moradia, a tudo aquilo que é necessário para uma vida digna.


Cartaz sobre liberdade.

Cartazes explicando sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
     Participar dos movimentos sociais é uma forma de garantir que os Direitos Humanos sejam conhecidos e respeitados pelas autoridades competentes. Assim, não se pensa que é coisa de "bandido", mas de todo cidadão que cumpre com seu dever.
     Vamos conhecer melhor este documento universal e sermos mais atentos para com os acontecimentos em nosso país e no mundo, podendo, assim, cada um de nós sermos um transformador social, praticarmos com consciência a nossa cidadania, conforme algumas frases dos cartazes confeccionados por um grupo de alunos da EE. Orestes Ferreira de Toledo.



Alunas da 3A da EE Orestes F. de Toledo com cartazes sobre
o papel do Estado e a cidadania. Nov 2015
O cartaz acima dos alunos da 3A da Orestes deixa o recado para
como devemos exercer nossa cidadania. Nov 2015





"Democracia é [...] lutar pela igualdade..." Novos cartazes de
conscientização pela cidadania. Nov. 2015.




domingo, 29 de novembro de 2015

Cinquentenário e Projeto Minha escola, nossa gente

     Novembro, mês de muitas celebrações e desafios reflexivos para a Filosofia em ação. Pensar bem para bem viver.
     Depois do ENEM, em que vários estudantes estão na expectativa do resultado, o desafio deste mês foi, principalmente para os alunos da terceira série do Ensino Médio, as avaliações do SARESP. Por isso, encerrar os conteúdos previstos para preparar melhor o desempenho no exame oficial do estado de São Paulo fez parte do calendário deste mês.
     Dentre os assuntos abordados, o tema "felicidade" foi o centro das reflexões. A busca pelo bem estar individual e pelo bem comum geram o prazer de todos, ter uma vida digna.
     Neste sentido, o Dia Mundial da Filosofia (19/11) e o Dia Nacional da Consciência Negra ou dia do Zumbi (20/11), também foram motivos de comemorações com pesquisas, campanhas de transformação social e palestras de conscientização de combate a preconceitos, bullying, violência verbal.
     Além disso, a comemoração dos cinquenta anos da EE. Orestes Ferreira de Toledo teve uma cerimônia para o lançamento de um pequeno livro que registrou alguns aspectos deste patrimônio, como: o histórico, o político, o geográfico, o social, o econômico, o pedagógico e o cultural.
Alunos colaboradores e Prof. Terezinha
simbolicamente autografando o livro
 Cinquenta anos Orestes Ferreira de Toledo
Novembro 2015

Sra. Silvia M. M. Dottore, ex-diretora
 (1979-1989), recebendo o pequeno
livro Cinquenta anos EE. Orestes
Ferreira de Toledo. Nov/2015.
Atual diretor Arnaldo Baldívia e vice,
Edivaldo Manttuy. Nov/2015.
 Para resgatar a memória da EE Orestes Ferreira de Toledo  foi necessário pesquisar em atas e documentos da escola, guardados em arquivo morto, fazer entrevistas com ex-diretores, como a Sra. Silvia M. M. Dottore, e, atual diretor, Arnaldo Baldívia e vice-diretor, Edivaldo Manttuy, além de funcionários e professores da escola.

Primeiro presidente do Grêmio
Estudantil, Sr. Salvador L. Zanelati,
 em cerimônia do cinquentenário da
EE. Orestes F. de Toledo. Nov/2015.
    
   O primeiro presidente do Grêmio Estudantil, Sr. Salvador Luiz Zanelati, representou os ex-alunos da Unidade escolar, participando da cerimônia, de modo saudoso, com um depoimento sobre seus tempos escolares.

     Alguns professores e funcionários, que também foram ex-alunos, deram seus depoimentos e saudaram-se uns aos outros, registrando, assim, a memória de tão importante patrimônio público que tem feito história na região, no estado, no país e, até, no exterior, pois alguns aluno(a)s que terminaram o ensino médio e passaram para universidades públicas ganharam bolsa de estudos para outros países, valorizando e exercitando a consciência cidadã.
Ex-alunos e atuais professores da
EE Orestes F. Toledo. Jun/2015.
Alunos, ex-alunos, ex-diretora, coordenador e professores
no lançamento do livro Cinquenta anos da EE Orestes F.
de Toledo, no projeto Minha escola, nossa gente. Nov/2015.

               A todos os ex-alunos, alunos, funcionários, professores e gestores, parabéns!

domingo, 8 de novembro de 2015

Simpósio Internacional de Educação e Filosofia 2015

Prof. Ms. Terezinha em
VI SIEF, Unesp de Presidente
Prudente. Setembro 2015.
    
    Embora já tenha passado algumas semanas, não deixaria de compartilhar o evento ocorrido na Unesp de Presidente Prudente/SP, entre os dias 8 a 11 de setembro, que realizou o VI Simpósio Internacional de Educação e Filosofia (VI SIEF). O tema deste foi "A experiência do Pensar em Educação: identidade ou diferença", promovido pelo Grupo de Estudo e Pesquisa Educação e Filosofia (GEPEF) da Unesp de Marília/SP.

 

A preocupação do VI SIEF foi refletir sobre:
"Moral da identidade ou ética da diferença?", que abordou o ser autista;
"O lugar da experiência [filosófica] na formação de professores"; 
"O que significa aprender em Filosofia?";
"Ciladas da diferença e a da identidade na educação",
     " O pathos na educação: do passional ao patológico";
     "Biopolítica, ética e diferença na educação"

     Em todas as mesas participaram filósofos brasileiros e estrangeiros como: Prof. Dr. Fernando Bárcena Orbe, da Espanha; Prof. Dr. Carlos Skliar e Prof. Dr. Edgardo Castro, da Argentina; Prof. Dr. José Antônio Zamora Zaragoza, da Espanha; Prof. Dr. Alexandre F. de Carvalho, da UNIFESP, Prof. Dr. Alexandre Fernandez Vaz, UFSC; Prof. Dr. Maximiliano Valério Lopéz, UFJF, Prof. Dr. Rodrigo Barbosa Lopes e Prof. Dr. Divino José da Silva, UNESP de Presidente Prudente, Prof. Dr. Silvio Gallo, UNICAMP, Prof. Dr. Patrícia Velasco UFABC, Prof. Dr. Alexandre Simão de Freitas, UFPE; Prof. Dr. Susana de Castro, UFRJ; Prof. Dr. Alonso Bezerra de Carvalho, UNESP, Assis/SP; Prof. Dr. Rodrigo Pelloso Gelamo, Prof. Dr. Pedro Ângelo Pagni, Prof. Dr. Sinésio Ferraz de Bueno, da UNESP de Marília/SP;
        
Abertura do VI SIEF na Unesp de
Presidente Prudente, os filósofos
   Prof. Dr. Rodrigo Lopes, Prof. Dr. Divino
Prof. Dr. Pedro Pagni. Set 2015.


Filósofa Profa. Dra. Patrícia Velasco, da
UFABC. Setembro 2015.













                   
                 Apresentação dos filósofos Prof. Dr.
                      Alexandre Freitas UFPE, Prof. Dr. Alonso
                          Bezerra de Carvalho e filósofa Prof. Dra.
                 Susana de Castro, UFRJ. Set, 2015.



Prof. Dr. Silvio Gallo,
UNICAMP, Setembro 2015.

     Além das apresentações das Mesas, durante o Simpósio houve no período da tarde as sessões de comunicação, em que foram abordadas várias temáticas envolvendo reflexões mais recentes relativas ao aprender a filosofar ou a experiência do Pensar na Educação, como diz o tema do evento, tais como: "A alteridade: o lugar do Outro na Educação"; "Experiência estética e corpo social na formação de atores", "O Pibid como experiência de formação na licenciatura de Filosofia: reflexões e experiências", "Fragmentos de uma cilada do sujeito: o pobre como outro na Educação"; "De um 'estudar Filosofia' para um 'vivenciar a Filosofia': reflexões com e a partir de Nietzsche"; "Experiências da Filosofia da práxis no Ensino Médio"; "Rekhet ou filosofia: estética e legado africano ao mundo diaspórico", "Jogos discursivos entre a Filosofia e o filosofar no ensino de Filosofia" e muitos outras temáticas apresentadas em todas as tardes.
 
      A experiência de estar e acompanhar as reflexões filosóficas não só teve o lado de ouvir e refletir, mas também os momentos prazerosos dos encontros entre as palestras, criando e/ou reforçando laços de amizade e profissionalismo.
  
     O gratificante nesse Simpósio foi, também, encontrar ex-aluno da E.E. Itael Matos, de Santa Fé do Sul, que fez a graduação em Filosofia, na UNESP de Marília/SP e hoje, ser professor e doutorando na área, lecionando e participando em uma das sessões de comunicação, Tiago Brentam.

 






                               
Intervalo para o cafezinho, entre uma
sessão e outro do SIEF. Set. 2015.


                        
                                     Filófoso Prof. Ms. Tiago Brentam
                                        Perencini, ex-aluno da EE. Itael
                                     de Matos, doutorando em Filosofia
                                        pelaUnesp de Marília/SP. Set 2015.
                                               
 


Almoço filosófico em Presidente Prudente
Setembro 2015.

Acadêmicos tocando nos momentos de
intervalos do SIEF, Unesp Presidente
Prudente. Setembro 2015.
 

   A Filosofia da cultura africana também se fez presente ao longo do Simpósio Internacional, buscando, assim, refletir mais uma lacuna em nossa educação brasileira.
     A decoração, os artesanatos e a apresentação sobre o tema despertou o espírito crítico em relação a mentalidade, ainda, arraigada, que a Filosofia é só a Ocidental. Atualmente, conhecer a Filosofia dos nossos antepassados faz parte do objeto de estudo, da experiência do Pensar a identidade e a diferença, como propôs a temática do evento.
 
Ivonete Alves e Prof. Dr. Vandeí
e o artesanato feito pela comunidade
quilombola Mocambo Nzinga de
Presidente Prudente/SP

Ivonete Alves e Mestrando Marcilei  com
os livros Cosmovisão Africana, do filósofo
Renato Nogueira. Setembro 2015.
 

Projetos: Educando para a cidadania

Grupo de alunos 1ªB com cartaz
confeccionado para alertar sobre comportamento
na cantina. Setembro 2015.

 
     O terceiro bimestre de 2015 foi um dos meses que todos os alunos do ensino médio da EE Orestes Ferreira de Toledo despertaram para a consciência crítica,  valorizando mais o patrimônio público, fazendo campanhas educativas, tendo palestras e, assim, aprendendo a exercer a cidadania.
   
      Postura como respeitar a fila, na hora do recreio, tanto para pegar merenda, quanto para comprar na cantina, foi tema de cartazes para conscientização da "galera".
     Uma das palestras ministradas pelos estudantes foi sobre o problema dos apelidos na escola. O grupo de alunos da primeira série B do ensino médio, criou cartazes com as palavras "Obrigado", "Por favor", "De nada", "Por favor" e proibido usar os termos "Idiota", "Burra" etc e depois, combinada com a professora Terezinha e os professores das salas do ensino fundamental, foram falar, fazendo uma campanha que os apelidos não são legais, pois geram comportamento desagradável entre os estudantes.




Alunos da 1ª série B Ensino Médio da
EE. Orestes Ferreira de Toledo em grupos. 2015.
 


Exemplo de cartaz de conscientização
de como usar o banheiro público.
     O banheiro da escola é um dos lugares que mais precisa de atenção, pois como é um lugar que preza pela privacidade, alguns menores aproveitam o espaço para brincar fora de hora, causando transtornos aos colegas e ao patrimônio público. Por isso, uma campanha, também foi começada, neste sentido, para preservar o ambiente de higiene, tanto masculino quanto feminino.
 
     Cartazes foram expostos, pequenas palestras com os alunos foram feitas como tentativas de buscar uma mudança de hábitos entre todos os alunos. Assim, na busca de preservar o patrimônio EE. Orestes Ferreira de Toledo, que há cinquenta anos presta serviço à comunidade, bem como a toda sociedade, pois nela o exercício da cidadania deve ser levado a sério.
 
   Parabéns aos grupos que acreditam que podemos transformar a realidade, torná-la melhor para a convivência social ser mais agradável.



Despedida

     O poema "Despedida", da aluna da terceira série do ensino médio, Milena Martins, da EE. Marin Cruz, foi criado durante a aula em que o tema era sobre como a Filosofia está presente na linguagem poética, na fala do cotidiano e a mesma pode transmitir a dialética ou dilemas da vida.
    
     Como estamos quase no final do calendário letivo, a menos de um mês e meio, apreciemos a criatividade das palavras em que o pensar é demonstrado com emoção, também.

"Teria que partir
Mesmo não querendo
Me deixou aos prantos
Com um enorme sofrimento.
 
Aquele beijo da última visita
Teve um gosto de tristeza
De todos os momentos que passamos
Retrata o nosso grande amor como a certeza.
 
A necessidade do emprego era maior
O vazio no peito também iria ficar
Da enorme saudade ainda viria a recompensa
De grandes momentos que iriam se eternizar."
 
 
Parabéns, Milena. Valeu!
 

Superar para utilizar

     Gabriela Vilar, aluna da terceira série do ensino médio, da EE. Marin Cruz, produziu um pequeno texto onde reflete sobre o desafio do corpo na sociedade atual. De modo simples, mas significativo, o exercício de organizar as ideias valeu o momento do pensar, como se vê abaixo.
     "Para superarmos os desafios do corpo, já que ele possui limites, temos que aprender a respeitar o modo de viver.
     Consideremos situações que ocorrem na sociedade;  cada ser deve-se adequar no ambiente, respeitando e superando seus limites próprios. Um exemplo, a força social, [...] o corpo militar, que obedece as regras para exercerem o cargo e impõem limites para todos os seres de uma sociedade.
     Sendo assim, devemos [...] viver em cada espaço, considerando também o respeito pelos limites."

Translate